Tags:
Backup Tape

Para estratégias de storage de backup, a recomendação da Veeam é manter a cadeia de backup inicial curta (de 7 a 14 pontos) e usar discos de propósito geral que permitam recuperar dados no tempo mais curto. A retenção de longo prazo deve vir de storage secundário e terciário, que geralmente conta com um custo de storage por TB muito menor, mas com a desvantagem de um RTO bem maior para restaurar desse storage. Veja os gráficos que ilustram este cenário:

Além disso, com os muitos recursos novos da Veeam, o suporte a fita agora inclui colocar backups de vSphere, Hyper-V e Veeam Agents para Microsoft Windows e Linux em fita.

Uma das opções mais populares para arquivamento de backup é a fita. Ela é barata, confiável e oferece proteção contra vírus criptográficos e ataques de hackers. Além disso, ela está off-line quando não está em um carregador de fita.

Com a Veeam, os administradores de TI podem usar opções flexíveis para criar cópias de backup e armazená-las em uma mídia diferente, seguindo a regra 3-2-1 para backup e recuperação de desastres. Esta postagem de blog traz conselhos e considerações e vão ajudar você a criar uma infraestrutura robusta de arquivamento em fita.

Como implantar uma biblioteca de fitas e usá-la com a Veeam

Ao planejar e implementar seu projeto de implantação, siga as recomendações abaixo:

  1. Recomenda-se configurar a biblioteca de fitas para uso exclusivo do Veeam Backup & Replication. Usá-la em conjunto com qualquer software de gravação em fita de terceiros (por exemplo, em seu laboratório de avaliação) pode impedir que outros softwares consigam gravar.
  2. Para simplificar o fluxo de trabalho, use fitas com códigos de barras. Confira a integridade dos códigos de barras antes de começar a usar as fitas, e certifique-se de que seu leitor de código de barras esteja ligado. Se você tiver várias bibliotecas, certifique-se de que os códigos de barras sejam únicos em toda a infraestrutura.
  3. Para obter maior capacidade, use o LTO mais recente. Desde o Veeam Backup & Replication 9.5 Atualização 3, a Veeam oferece suporte ao formato LTO-8.
  4. Se você planejar o uso de criptografia para dados arquivados, pense em usar a criptografia por hardware (implementada no LTO-4 e nos mais recentes). A criptografia por software pode reduzir o desempenho.
  5. Não use compactação por hardware com backups da Veeam compactados. A compactação dupla não oferecerá nenhum benefício e pode até aumentar o tamanho do arquivo em fita.
  6. Instale e confira o seguinte:
  • Os drivers mais recentes de sua biblioteca de fitas. Lembre-se de que somente os drivers originais (OEM) recebem suporte. Não recomendamos os drivers fornecidos com o Microsoft Windows.
  • O firmware mais recente do alterador e do controlador. Há suporte para alteradores operados via SCSI.

Você vai precisar de um servidor de fita que vai executar a maioria das tarefas de transferência de dados durante o arquivamento para fita. Confira os seguintes pré-requisitos:

  • Ele deve ser uma máquina física ou uma VM conectada por iSCSI, pois não há suporte à passagem direta.
  • Não recomendamos o uso de uma máquina com Windows 2008 R2 para o servidor de fita devido à possibilidade de degradação do desempenho. Em vez disso, use o Windows Server 2012 ou mais recente para obter um desempenho melhor e uma operação coesa.
  • A melhor prática é fornecer uma conexão direta do servidor de fita ao repositório para melhorar o desempenho e especificar esse repositório preferido nas conexões do servidor.
  • Se você planeja criar backups sintéticos, não recomendamos usar um storage de deduplicação.

Outra coisa a considerar é o uso de pools de mídia GFS com o suporte a fita da Veeam. Esse recurso facilita a configuração de uma retenção de prazo maior para backups em fita, como mostra a figura abaixo:

Best practices from Veeam support on using tape

Se você planeja executar um arquivamento de arquivo para fita para um número maior de arquivos (mais de 500.000 por tarefa), considere usar qualquer edição comercial do SQL Server para o banco de dados de configuração da Veeam para dar suporte a essas operações. O banco de dados de configuração armazena informações sobre todos os arquivos dos quais o Veeam Backup & Replication faz backup, e usar o SQL Server Express Edition (com seu limite de 10 GB para o tamanho de um banco de dados) pode causar degradação significativa do desempenho. Se o tamanho do banco de dados chagar a 10 GB, todas as operações da Veeam vão parar.

Para carregar ou pegar as fitas da biblioteca, use os slots de importação e exportação. Se precisar executar essas operações manualmente, lembre-se de parar as tarefas de fita, parar o servidor de fita, executar a operação manual, iniciar o servidor, examinar novamente ou executar o inventário da biblioteca (para reconhecer as fitas carregadas) e então reinicie a tarefa de fita.

  • Se as fitas tiverem códigos de barras, então você pode examiná-las novamente.
  • Caso contrário, você deve executar o inventário.

Observação: para mais informações sobre a infraestrutura de fita e suas operações, consulte o Guia do usuário para VMware ou Hyper-V do Veeam Backup & Replication.

O que levar em consideração antes de começar o upgrade

Se estiver fazendo o upgrade de sua implantação Veeam, primeiro você deve fazer o upgrade do servidor de backup Veeam.

Depois disso, virá o upgrade do servidor de fita, usando as etapas automatizadas do assistente de Upgrade que é aberto depois da primeira execução do console do Veeam Backup & Replication. Mas você pode optar por fazer o upgrade manualmente iniciando o assistente de Upgrade a qualquer momento no menu principal do Veeam Backup & Replication.

Se você fizer o upgrade de sua biblioteca de fitas, considere o seguinte:

  1. Para simplificar o processo e pula a etapa de catálogo, você pode acrescentar a biblioteca nova aos pools de mídia existentes e remover a antiga dos pools depois que ela for trocada.
  2. Depois de conectar a biblioteca nova ao servidor Veeam, você deve carregar as fitas existentes com seus códigos de barras à biblioteca nova e reexaminá-la. Em seguida, você pode passar a biblioteca antiga para o status off-line (desanexando-a do servidor Veeam) e então excluí-la da configuração do Veeam Backup & Replication.

O que considerar no planejamento de tarefas de fita

Antes de começar a configurar as tarefas da Veeam para arquivamento em fita, considere os seguintes fatores:

  1. Quais entidades você terá de arquivar? Serão arquivos e pastas, ou backups de VM? Você precisa arquivar somente backups completos, ou também incrementais?
  2. Qual é o tamanho estimado dos dados?
  3. Com que frequência você terá de arquivar dados?
  4. Qual será a política de retenção para seus dados?
  5. Com que frequência as fitas serão trocadas? Elas serão exportadas?
  6. Qual é a capacidade das fitas?
  7. Qual dispositivo de fita será usado para o arquivamento?

Depois dessas considerações, recomenda-se dobrar o número estimado de fitas ao planejar os recursos.

Conclusão

Nesta postagem de blog, falamos principalmente sobre a infraestrutura de fita. Reconhecemos que, ao configurar tarefas de fita, a curva de aprendizado pode ser acentuada. Em vez de explicar todos os conceitos, optamos por uma abordagem diferente. Preparamos uma lista de configurações e um resultado bem definido que será obtido. Você pode optar por usá-las como estão ou como base para sua configuração pessoal. Para mais detalhes, confira este Guia da Veeam de melhores práticas para cópias secundárias.

GD Star Rating
loading...
Melhores práticas do suporte da Veeam para uso de fita, 3.0 de 5 baseado em 2 avaliações

Veeam Availability Suite — Faça o download da versão de avaliação gratuita de 30 dias

DOWNLOAD NOW