O objetivo deste artigo é proporcionar um início tranquilo com o Veeam Backup & Replication. O artigo inclui conselhos básicos para a instalação inicial, além de descrever os erros de configuração mais comuns que nós, na Veeam, encontramos nas infraestruturas dos clientes em nossas investigações.

Recomendações sobre modos de backup

Na maioria dos casos, modos de backup incrementais ou incrementais infinitos são recomendados por serem os mais rápidos. O backup incremental infinito (sem backup completo periódico) requer menos espaço e oferece um desempenho razoável. O backup incremental requer mais espaço, mas também é mais robusto (porque uma cadeia de backup é dividida em subcadeias pelo backup periódico).

O método de backup incremental reverso é o nosso método de backup mais antigo e, por consequência, o mais lento. Dependendo do tipo de storage em uso, esse método pode ser três ou mais vezes mais lento que os outros modos. Com o backup incremental reverso, você terá um backup completo no último ponto da cadeia. Isso possibilita restaurações mais rápidas se o ponto mais recente for usado, mas a diferença muitas vezes é insignificante em comparação com uma cadeia incremental (se a duração não for excessivamente longa, costumamos sugerir que seja por volta de 30 dias).

Imersão no backup completo

A operação de backup completo e sintético cria um arquivo de backup completo a partir de pontos de restauração que já residem no seu repositório. No entanto, nem todo tipo de storage oferece um bom desempenho com operações sintéticas, então aconselhamos usar o backup completo ativo como alternativa.

Quando configurar um modo de backup completo e sintético, há uma opção adicional disponível: “Transform previous backup chains into rollbacks” (Transformar as cadeias de backup anteriores em reversões). Tenha em mente que esta opção inicia uma tarefa de transformar backups incrementais (.VIB) em reversões (.VRB), o que é trabalhoso para o seu repositório de backup de destino. Por exemplo, isso ajudará você a transformar sua cadeia atual em uma incremental reversa para fins de arquivamento. No entanto, se você usá-lo como método de backup principal, isso produziria uma cadeia de backup muito específica que consiste de um arquivo de backup completo e uma combinação de pontos de restauração incremental e reversa.

 


Figura 1. Um job de backup incremental com backup completo e sintético periódico.

Dicas sobre guest processing

Guest processing é usado para criar backups de suas VMs consistentes. E se as suas VMsexecutam instâncias de aplicações de Microsoft Exchange, Active Directory, SharePoint, SQL Server e Oracle, você poderá aproveitar restaurações granulares usando os Veeam Explorers. Tenha em mente que o guest processing depende de uma estrutura VSS (um recurso do Windows), que deve estar funcionando corretamente, caso contrário seus jobs de backup falharão.

Para habilitar o guest processing, acesse Guest Processing nas propriedades de job de backup. Habilite a opção “Application-aware processing” (Processamento com percepção de aplicações) e forneça uma conta administrativa com as credenciais do SO hospedado.

 


Figura 2. A etapa de processamento de guest controla a indexação e processamento com percepção de aplicações.

 

Se algumas das VMs no job exigirem credenciais específicas, é possível usá-las clicando no botão “Credentials” (Credenciais). Isso abrirá o menu de Credenciais. Clique em “Set User…” (Definir usuário...) para especificar as credenciais que devem ser usadas com a VM.

 


Figura 3. O menu de Credenciais possibilita configurar usuários para cada VM no job.

 

Clicar no botão “Applications…” (Aplicações...) abre um menu onde é possível especificar opções para aplicações suportadas e desabilitar o processamento de guest para VMs determinadas, se necessário.

 


Figura 4. No menu de Aplicações, é possível especificar opções para várias aplicações ou desabilitar completamente o processamento de guest para uma VM.

Indexação de sistema de arquivos guest de VM

Com a habilitação de “VM Guest File System Indexing” (Indexação de sistema de arquivos guest), o Veeam Backup & Replication cria um catálogo de arquivos dentro da VM, o que possibilita usar a pesquisa de arquivos guest e realizar restaurações em 1 clique por meio do nosso Veeam Backup Enterprise Manager.

Caso você não use o Enterprise Manager, então você pode poupar tempo (às vezes significante) da sua janela de backup e espaço na unidade C: de um servidor Veeam se desabilitar esta opção. Isso não afeta a sua habilidade de desempenhar restaurações no nível do arquivo a partir do seu console Veeam Backup & Replication.

Destino de backup secundário

Nenhum fornecedor de storage pode garantir uma integridade absoluta dos dados. A Veeam verifica um arquivo de backup depois de gravado em um disco, mas, com milhões de operações no datastore, bits ocasionais podem ser alternados, causando corrupção silenciosa. O Veeam Backup & Replication oferece recursos como SureBackup e verificações de integridade que ajudam a detectar uma corrupção com antecedência. No entanto, às vezes pode ser tarde demais, então é absolutamente necessário seguir a regra 3-2-1 e usar conjuntos diferentes de mídia em diversos locais para garantir a Disponibilidade de dados.

Para manter a regra 3-2-1, logo depois de criar um job de backup primário, é aconselhável configurar um job de cópia secundária. Isso pode ser uma tarefa de cópia de backup para um storage secundário, para um repositório de nuvem ou uma cópia para fita.

Instant VM Recovery como deveria ser

O Instant VM Recovery possibilita a você iniciar uma VM o mais rápido possível a partir de um arquivo de backup. No entanto, você precisa ter em mente que uma VM recuperada permanece no seu repositório de backup e consome seus recursos. Para finalizar o processo de restauração, a VM deve ser migrada de volta para a produção. Muitas vezes no Suporte da Veeam nós vemos VMs críticas funcionando por semanas no modo Instant VM Recovery até que um datastore fique cheio e os dados se percam.

Para quem procura uma imersão no assunto, recomendo a recente postagem de blog sobre Instant VM Recovery pelo Veeam Vanguard Didier Van Hoye.

 


Figura 5. Assim que a VM é iniciada no modo Instant VM Recovery, você deve começar sua migração de volta para a produção.

Cuidado com o CIFS como um repositório principal de destino

A Veeam tem suporte agnóstico ao storage, além de vários tipos de repositórios de backup. Com o passar dos anos, ficou comprovado que um servidor físico Windows ou Linux com storage interno oferece o melhor desempenho na maioria dos casos. Você pode conferir os Fóruns da Veeam para mais detalhes — anos depois, isso ainda é verdade.

O repositório de backup num compartilhamento CIFS continua uma escolha popular, apesar de oferecer o pior desempenho de todas as opções. Muitos dispositivos NAS modernos suportam iSCSI, então uma escolha melhor seria criar um disco iSCSI e apresentá-lo a um servidor/proxy Veeam. Mas tenha em mente que também não é recomendado usar o modo de backup incremental reverso para repositórios NAS porque isso coloca uma carga pesada de E/S no destino.

Proxy de destino para replicação

Durante a replicação por WAN, aconselha-se implantar um proxy de backup no site de destino e configurá-lo como um proxy de destino nas configurações de umatarefa de replicação. Isso criará um canal robusto entre os dois sites. Recomendamos configurar um proxy de destino ao modo NBD/Rede, já que usar um hot add para réplica pode causar snapshots órfãos e travados.

Tenha em mente que, quando usar aceleradores de WAN, um proxy de destino ainda deve ser implantado. Um acelerador de WAN de destino e um proxy de destino pode ser instalado numa máquina diferente ou em uma só, desde que tenha recursos suficientes.

 


Figura 6. Para a replicação sobre WAN, você deve especificar o proxy de destino e de origem.

 


Figura 7. Defina o modo de proxy de destino para Network (Rede).

Passo essencial para um servidor de fita

O servidor de fita é um componente responsável para a comunicação com um dispositivo de fita. A instalação é feita numa máquina física que é conectada a um dispositivo de fita (conexões “pass through” via host ESXi para uma máquina virtual não são suportadas!).

O Veeam Backup & Replication recebe a informação sobre a biblioteca pelo sistema operacional, para que você possa se certificar de que os drivers mais recentes estão instalados e que o dispositivo de fita está corretamente visível no gerenciador de dispositivos.

Mais informações sobre o uso de fitas com o Veeam Backup & Replication na minha postagem de blog anterior.

Última orientação sobre a abertura de tíquetes com o suporte da Veeam

Incentivamos que você confira com cuidado o critério de severidade e defina um nível adequado quando abrir sua solicitação de suporte. Compreendemos que todo problema, não importa a escala, é importante e é nosso dever solucioná-lo o mais rapido possível, mas se definir a severidade para 1 e o problema não atender a esse critério, você perderá tempo valioso, já que o seu tíquete será inspecionado e redirecionado à fila apropriada.

 


Figura 8. Quando der início a um caso, certifique-se de definir corretamente o nível de severidade e fazer upload do pacote de logs.

 

Para ajudar nossos agentes de suporte a chegarem à raiz do problema imediatamente, certifique-se de reunir a base de todas investigações bem-sucedidas de casos: um pacote de logs. Siga o nosso guia sobre como obter os logs da maneira correta. Em alguns casos, pode ser necessário pedir os logs de componentes adicionais da sua infraestrutura, mas isso seria solicitado diretamente pelo seu engenheiro de suporte.

E isso é tudo para o episódio de hoje! Espero que isso ajude você a otimizar seu ambiente de backups e escapar dos erros mais comuns durante uma configuração.

 

GD Star Rating
loading...

Veeam Availability Suite — Faça o download da versão de avaliação gratuita de 30 dias

FAÇA O DOWNLOAD AGORA